Quais são os principais planos para os próximos anos (ou meses) da sua vida?

Realizar uma graduação? Ser promovido? Realizar uma transição de carreira? Comprar um carro ou imóvel próprio?

Para muitas pessoas, todos esses planos estão listados como algo a ser realizado durante a vida, sendo que 52% dos brasileiros têm como prioridade a compra de uma casa ou apartamento, de acordo com a pesquisa realizada pela empresa digital MindMiners, em 2018.

A mesma pesquisa apontou que, entre os entrevistados, 60% só conseguiriam comprar um imóvel próprio se fosse por meio de financiamentos com bancos ou com auxílio de empréstimos.

Se você chegou até aqui é porque quer realizar esse sonho de ter um imóvel próprio. E saiba que você já começou da maneira certa: buscando informação.

Saber quais são as opções de compra, de financiamento, o que você deve ou não fazer na hora de comprar um imóvel será fundamental para fazer uma boa escolha de moradia e de investimento.

Conheça as opções de pagamento disponíveis na hora de comprar uma casa

O primeiro passo é entender a sua situação financeira. 

Ao mesmo tempo que você precisa identificar o valor que você tem disponível para dar de entrada, também é necessário verificar como está o seu nome no mercado.

Verifique se você possui dívidas, como está o seu score no Serasa e busque deixar tudo em ordem para que nada comprometa empréstimos e financiamentos que você possa precisar.

Após garantir que sua situação financeira está em dia perante as instituições, é hora de colocar as pesquisas e simulações na sua rotina.

Isso mesmo! Para comprar uma casa você precisará fazer várias pesquisas e também simulações de compra caso você não possua o valor integral do imóvel.

Sendo essa a realidade da maioria dos compradores, vamos entender como comprar casa quando não se tem o valor total do imóvel:

Como comprar casa com financiamento imobiliário

A primeira maneira de comprar um imóvel sem ter dinheiro guardado é por meio do financiamento imobiliário.

No financiamento, os bancos pagam pelo imóvel e parcelam o valor para que você realize o pagamento para a instituição de maneira parcelada. Dessa forma, em vez de dever para a construtora ou proprietário do imóvel, você vai dever para o banco.

A principal vantagem de adquirir um imóvel financiado é que você tem acesso imediato ao imóvel. Ou seja, você transforma o valor do aluguel em parcelas do financiamento e pode se mudar para a casa nova assim que finalizar a negociação.

Por outro lado, a grande desvantagem dessa modalidade de compra são os juros do financiamento. As altas taxas de juros muitas vezes podem fazer o valor total do imóvel praticamente dobrar em relação ao valor que seria pago à vista.

Além disso, os financiamentos exigem um valor de entrada considerável.

Um fator que vai fazer diferença ao fazer um financiamento é a sua capacidade de pagamento das parcelas mensais, pois normalmente as instituições determinam que as parcelas não podem ultrapassar 30% da renda familiar bruta.

Vamos recapitular as condições para financiar?

  • Garanta que sua situação financeira está em dia com instituições e no Serasa.
  • Identifique a faixa de valor de imóveis que cabem na sua renda.
  • Faça pesquisas e simulações de compra.
  • Caso você não tenha o valor integral ou que permita negociar com a construtora ou proprietário, busque opções de financiamento.
  • Pesquise quais instituições vão te oferecer as melhores taxas de juros para financiamento imobiliário.
Dica
Muitos bancos são considerados mais populares para o financiamento imobiliário, sobretudo, por facilitarem algumas condições de compra, mas nem sempre eles oferecem as melhores taxas de juros. Por isso, vale a pena pesquisar bastante e ter em mãos pelo menos três opções de financiamento antes de tomar uma decisão.


Depois de todas essas etapas, o banco vai avaliar se você possui as condições necessárias para realizar o financiamento e também vai avaliar as condições do imóvel. 

Caso tudo esteja certo, o contrato é elaborado e a negociação pode ser finalizada.

Como comprar casa utilizando seu FGTS

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é uma boa opção para quem não tem dinheiro guardado. Trata-se de um dinheiro depositado mensalmente pelo empregador numa conta em nome do funcionário.

O valor mensal corresponde a 8% do salário e pertence ao empregado, mas só pode ser utilizado em situações específicas, como é o caso da aquisição de um imóvel próprio.

Quando a soma total do FGTS disponível não é suficiente, normalmente a opção mais praticada é unir duas formas de pagamento: FGTS + financiamento ou FGTS + consórcio.

Dessa maneira, o FGTS pode ser usado das seguintes maneiras:

  • Como valor de entrada em um financiamento imobiliário.
  • Para pagar o imóvel de forma integral ou parcial.
  • Para dar um lance ou complementar a carta de crédito em um consórcio (falaremos mais sobre essa opção no tópico Consórcio de imóveis).

Como comprar casa através de consórcio de imóveis

Você já ouviu falar sobre o consórcio de imóveis?

O consórcio funciona da seguinte maneira: um grupo de pessoas com o objetivo de adquirir um imóvel próprio se une através de uma administradora autorizada pelo Banco Central.

Para atingir o objetivo, esse grupo de pessoas paga um valor determinado por mês a fim de arrecadar a quantia necessária para aquisição do imóvel.

Todos os meses, uma pessoa do grupo é contemplada através de sorteio pela carta de crédito, que vai ser utilizada para ela adquirir o imóvel.

Diferente do financiamento, você não irá adquirir o imóvel imediatamente. Por isso, o consórcio deve ser uma opção para as pessoas que não tem pressa em comprar o imóvel.

Por outro lado, o consórcio é um compromisso para que você guarde o dinheiro do imóvel nos próximos anos, já que caso você não seja contemplado ao fim de determinado período, você tem a garantia de ter esse dinheiro de volta.

Sem o compromisso de pagar o consórcio mensalmente, muitas pessoas não teriam o controle e o compromisso de reservar o valor para o imóvel. Por isso, essa opção pode ser interessante a longo prazo.

Cuidado! Antes de escolher um consórcio, certifique-se que a administradora é autorizada pelo Banco Central.

Como comprar casa parcelando com a construtora ou incorporadora

O parcelamento com a construtora é uma opção parecida com o financiamento, mas indicada para quem tem condições financeiras de arcar com parcelas mensais um pouco maiores.

Normalmente, grandes construtoras possuem capital financeiro e reputação perante os bancos para realizar parcelamento direto com seus compradores.

O principal benefício é que as construtoras e os compradores têm mais autonomia para negociar as condições. 

Dessa forma, para parcelar com a construtora, tudo vai depender das condições que cada construtora oferece, das suas condições financeiras e do valor do imóvel a ser adquirido.

Em muitos casos, é possível utilizar o FGTS como valor de entrada e, caso ele não seja suficiente, é possível parcelar o valor que falta nos meses seguintes. Somente depois disso, o comprador começa a pagar o parcelamento.

Uma facilidade que não é permitida no financiamento imobiliário direto com bancos.

A grande diferença do parcelamento com a construtora é que, geralmente, o prazo para pagamento não é tão grande como de 30 a 35 anos oferecidos pelos bancos.

A parte boa é que as taxas de juros tendem a ser bem menores, impactando diretamente o valor final que será pago pelo imóvel.


Na hora de comprar casa, existem opções variadas no mercado que visam oferecer condições para que as pessoas façam este investimento, considerado um dos mais importantes em toda a vida.

A melhor opção corresponde àquela que mais se adequa às condições financeiras do morador, principalmente porque se trata de um investimento a longo prazo, cujas parcelas costumam se estender por um longo período.

Vale ressaltar que, mesmo quando não se tem o valor integral do imóvel, quanto maior o valor de entrada, mais condições você terá para negociar.

Se depois de fazer todo esse processo você identificar que ainda não possui as condições necessárias para adquirir um imóvel, saiba que agora é a hora de começar a guardar dinheiro.

Daqui três ou cinco anos, a quantia que você guardar mensalmente pode fazer bastante diferença no valor de entrada.

E se você já identificou que possui as condições de compra, agora é a hora de escolher o imóvel certo que valorize seu investimento!

Depois de iniciar o processo de pesquisa, vale a pena pesquisar por um corretor ou uma construtora de confiança. 

Muitos empreendimentos na planta ou em construção podem ser adquiridos diretamente com os responsáveis com condições especiais de negociação. Fique de olho, pesquise, compare e negocie com quem te passa segurança.

Assim o seu investimento será muito mais assertivo!

Postado 
8/4/21
 em 
Mercado

More from 

Mercado

 category

Ver todos

Assine nosso portal e receba no seu e-mail as últimas postagens.

Leia nossa política de Privacidade Privacy Policy
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.